Bolsonaro sobre impeachment de Moraes: “Estou praticamente sozinho”

 


O presidente Jair Bolsonaro lamentou, nesta quinta-feira (26), a decisão do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, de arquivar o pedido de impeachment que ele apresentou contra o ministro Alexandre de Moraes. Em tom de desabafo, o chefe do Executivo afirmou que está “praticamente sozinho” neste embate.


– Vocês sabem que nessa briga eu estou praticamente sozinho – declarou, em entrevista à rádio Jornal Pernambuco.

Na avaliação de Bolsonaro, Pacheco vem atuando de modo diferente do que agia no passado.


– Os Poderes são independentes. Eu entrei com a ação para que o processo fosse avante. Nem vou dizer cassar, ou não, o ministro Alexandre de Moraes. O Pacheco entendeu e acolheu uma decisão da sua advocacia, advocacia do Senado. Mas, quando chegou uma ordem do ministro (Luís Roberto) Barroso para abrir a CPI da Covid, ele mandou abrir – lembrou.


Durante a entrevista, o presidente não economizou nas críticas a Moraes e declarou que o ministro do STF tem “jogado fora das quatro linhas da Constituição”.


– O que são as acusações contra o senhor Alexandre de Moraes? Ele ignora a Constituição Federal. Ele desconhece e ignora vários incisos do artigo 5º. Ele ignora o direito de ir e vir, a liberdade de expressão. Ele abriu o inquérito das fake news, e as fake news nem estão tipificadas no Código Penal, e simplesmente começa a investigar qualquer um.


Bolsonaro destacou ainda a prisão de seus aliados, o deputado federal Daniel Silveira, o dirigente nacional do PTB, Roberto Jefferson, e o jornalista Oswaldo Eustáquio.


– Ele [Moraes] prende e tira a liberdade; como estão sem liberdade, agora, o Roberto Jefferson, Eustáquio e o deputado federal Daniel Silveira. Tudo baseado em matérias que esses caras botaram nas mídias sociais, ou por conta de pronunciamentos – assinalou.