Ticker

6/recent/ticker-posts

Anta nº 2 é tomado pelo desespero, ataca campanha de Moro e questiona: “É para valer?”

 


Por motivos certamente inconfessáveis, os Antas odeiam o presidente Jair Bolsonaro e querem derrotá-lo no pleito de 2022.


Atacam o presidente todos os dias e, até ontem (13), viam em Sérgio Moro o candidato que poderia vencê-lo. Por isso, o apoio incondicional ao ex-juiz.


Porém, repentinamente, tomaram um choque de realidade.



 

A estrondosa popularidade de Bolsonaro está levando os “antas” a um estado de insano desespero.


Assim, Cláudio Dantas, o anta nº 2, resolveu abrir o verbo e, pasmem, fustigar a pré-candidatura de Moro.


Detonou o partido, esculhambou com o candidato e revelou que o publicitário Nizan Guanaes recusou o convite para tocar a campanha.


Dantas começa assim:


“Falhas e despreparo marcam pré-campanha de Sergio Moro à Presidência; ex-juiz não consegue reagir à torrente de fake news de seus concorrentes.”

E a ‘choradeira’ prossegue com uma sequência enorme de reclamações da malfadada campanha do ex-herói:


- Peca na interlocução com a imprensa.

- Não tem uma assessoria para cuidar de sua agenda diária.

- Usa a mesma muda de roupa para ir num jantar com empresários ou para ir numa favela.

- Gasta o tempo com agendas que só teriam sentido em agosto ou setembro.

- Deveria estar aproveitando o seu tempo com media training, ganhando confiança no vídeo e estudando debates e as fragilidades de seus concorrentes.

Para piorar o relato do anta nº 2, ele compara a campanha na qual atualmente é militante com a campanha de Bolsonaro em 2018:


“Para se ter uma ideia, em outubro de 2017, quando fiz minha primeira entrevista com Jair Bolsonaro, o então pré-candidato já era recebido em aeroportos aos gritos de ‘mito’ por apoiadores organizados, entre eles associações de policiais, bombeiros e até pelo MBL.

Em novembro daquele ano, o então deputado federal do baixo clero já tinha entre 13% e 15% das intenções de voto, enquanto Lula liderava com média de 35%.”

É de dar dó...


É o desespero, que nem o botox consegue conter, próprio de quem percebeu que embarcou em uma ‘canoa furada’.


Gonçalo Mendes Neto. Jornalista.