Ticker

6/recent/ticker-posts

Eis o TSE! Três coelhos numa cajadada só! Roberto Jefferson, Daniel Silveira e Eduardo Cunha, e o STF


Podem escrever aí... a decisão do ministro do TSE, Carlos Horbach, que suspendeu o repasse de recursos para a campanha de Roberto Jefferson à presidência do Brasil, vem a serviço de atingir dois nomes que os ativistas políticos do STF não querem ver nem pintados de ouro: Roberto Jefferson e Daniel Silveira.

Tirá-los, respectivamente, dos debates daqueles que concorrem à presidência e da atuação no Senado Federal, é o principal objetivo. Ambos, certamente, farão um estrago nas pretensões políticas sistêmicas que o STF defende. E na esteira disso, vem o terror que a população em geral percebe.

Não podemos deixar de contabilizar que estas ações vêm, também, para sedimentar uma decisão do presidente do STF, Luiz Fux, nesta quinta-feira (18), que derrubou uma decisão do TRF-1 que afastou a inelegibilidade de Eduardo Cunha. O sistema está em polvorosa?

A decisão de Horbach, sob a alegação de que, ainda que indultado por Michel Temer em 2016 no caso do mensalão, onde havia sido condenado, Jefferson continua inelegível. Quer fazer prevalecer que o indulto não alcança consequências secundárias da condenação.

A decisão tem, também, como foco, outro indultado: o deputado federal Daniel Silveira.

Está no STF, o processo que quer desqualificar o Decreto da Graça do presidente da república, Jair Bolsonaro, a efeito da inconstitucional e absurda condenação de Daniel Silveira pelo STF.

Claro, os ministros do STF irão balizar uma eventual decisão que quer fazer valer que o decreto presidencial não alcança as medidas que margeiam a condenação de Daniel Silveira, com o pano de fundo criado pelo ministro Carlos Horbach