Discretamente, velha imprensa dá o braço a torcer e começa a reconhecer a força de Bolsonaro


Segundo uma conhecidíssima voz do jornalismo de esquerda em Brasilia, Ricardo Noblat, a debilidade da “terceira via” pode decidir eleição no primeiro turno.


Sem votos e ímpeto competitivo, oponentes de Lula e Bolsonaro não deslancham e dão sinais de desistência e fraqueza.

O mesmo colunista, 48 horas antes, já tinha dado a notícia de que o União Brasil estava conversando com a equipe de Jair Bolsonaro, através de seu filho, senador Flávio. É difícil um acordo desses considerando o tamanho dos partidos e todas as rixas do passado, mas se for concretizado uma coligação entre União Brasil e PL estariam encerradas as eleições.

Nesta segunda feira, 02/05, ainda no calor das manifestações de domingo, Noblat volta a ressaltar a possiblidade das eleições presidenciais deste ano serem decididas no 1º turno e aí mora o detalhe, ele omite quem seria o vencedor.

Considerando que o jornalista é um petista declarado e que até dezembro de 2021 apostava todas suas fichas na eleição de Lula, quando ele omite o possível vencedor no 1º turno fica subentendido que ele está se referindo à Bolsonaro como provável vencedor.

É notório os recuos no tom contra o presidente da Republica. A revista Veja é um claro exemplo.

Tags