Moraes ameaça advogado de Daniel Silveira e motivo choca a todos

 
Ministro Alexandre de Moraes ameaça advogado de Daniel Silveira e gera controvérsia no meio jurídico


Uma decisão do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), está gerando controvérsia e preocupação no meio jurídico. Moraes ameaçou penalizar o advogado Paulo Faria, defensor do ex-deputado federal Daniel Silveira, após um pedido de acesso à denúncia contra o ex-parlamentar.


O despacho emitido em 6 de fevereiro pelo magistrado critica a solicitação do advogado por acesso eletrônico aos documentos do caso, classificando-a como uma "conduta processual irregular". O pedido da defesa de Daniel Silveira, realizado em 23 de outubro de 2023, buscava a permissão para visualizar os autos de forma digital, considerando a residência do advogado em Goiânia, distante da sede do STF em Brasília.


No entanto, Moraes estipulou que o acesso seria concedido apenas mediante a presença física do advogado na Corte, o que levou Faria a solicitar uma modalidade virtual de consulta aos documentos. A decisão de Moraes, apoiada no regimento interno do STF, negou o pedido de Faria e incluiu uma advertência explícita de possível penalização por litigância de má-fé.


Essa postura de Moraes gerou surpresa, especialmente porque contrasta com uma prática anterior do ministro, que em situações similares permitiu o acesso digital aos autos. Um exemplo disso foi o Inquérito 4.895, relacionado a um suposto vazamento na Anatel, no qual os documentos foram disponibilizados eletronicamente ao mesmo Paulo Faria, representante de uma das partes.


Diante dessa mudança de postura, Paulo Faria expressou seu descontentamento, associando-a a uma retaliação pela defesa de Daniel Silveira. Ele afirmou: "Não tenho dúvidas de que Moraes está ameaçando a minha pessoa porque defendo Daniel Silveira". Faria também mencionou multas anteriores impostas por Moraes por suposto abuso do direito de apelação, o que reforça sua percepção de retaliação.


Diante dessa situação, o advogado busca agora o apoio da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) para enfrentar a questão e garantir a preservação dos direitos de defesa de seu cliente. A atitude de Moraes levanta preocupações sobre a independência do Judiciário e o respeito ao devido processo legal, especialmente em casos que envolvem figuras políticas e temas sensíveis.


A reação de Faria e a possível intervenção da OAB destacam a importância da defesa dos direitos dos advogados e a necessidade de garantir um ambiente jurídico justo e equitativo para todos os envolvidos em processos judiciais. O desfecho desse episódio terá repercussões não apenas para a defesa de Daniel Silveira, mas também para a credibilidade do sistema judicial brasileiro como um todo.