Ticker

6/recent/ticker-posts

Moraes determina que a PF ouça o vice de Thronicke em 48 horas


O mais novo ‘silenciado’ nas redes sociais é o ex-secretário da Receita Federal, Marcos Cintra.

Neste ano, ele se aliou à senadora Soraya Thronicke na disputa ao Palácio do Planalto, concorrendo como seu seu vice na chapa.

Na noite deste sábado (5), ele fez uma série de postagens no Twitter em que cobra do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que ao menos se manifeste sobre denúncias apresentadas por especialistas em uma live transmitida a partir de um canal conservador na Argentina, com questionamentos técnicos sobre o processo eleitoral.

"Nos grupos de apoiadores de Bolsonaro, como mostramos, circula uma planilha com links para os Boletins de Urna de seções eleitorais em que o presidente teve zero voto ou votação inexpressiva.

Quero ardentemente acreditar que haja explicação convincente”, escreveu o político, esclarecendo ainda que as dúvidas eram legítimas e que o cidadão teria direito a exigir respostas das instituições.

Mas para supresa de ninguém, a não ser dele mesmo, sua conta no Twitter ‘amanheceu’ retida neste domingo.

No Instagram, onde ainda detém seu canal ativo, Marcos Cintra lamentou a ‘censura’ que acabara de sentir na própria pele:

"Minha conta do Twitter acaba de ser Retida no Brasil... Um cidadão de bem fazendo perguntas sobre dados oficiais… estou muito triste e preocupado", escreveu recebendo o apoio de seguidores.

Imagem

A situação acaba de ficar ainda pior para Cintra.

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou neste domingo que a Polícia Federal ouça, em 48 horas, sobre o questionamento que o ex-secretário da Receita Federal fez a respeito da apuração das eleições de 2022.