General Revela: Ação do PT impediu revogação da lei que anistiou militares envolvidos na repressão


General Revela: Ação do PT Impediu Revogação da Lei de Anistia a Militares Envolvidos na Repressão

 O general Villas Bôas, ex-comandante do Exército, trouxe à tona revelações impactantes em uma entrevista concedida ao Antropólogo Celso Castro, cujo conteúdo foi posteriormente transcrito em um livro. Entre os assuntos discutidos, a atuação do Lobby militar no Congresso Nacional e os conchavos entre militares da controversa Assessoria Parlamentar do Exército e parlamentares de diferentes partidos foram expostos. Contudo, um tópico tabu e de grande relevância emergiu: a intervenção do Partido dos Trabalhadores (PT) que impediu a revogação da Lei de Anistia, garantindo que civis e militares envolvidos em atentados políticos e repressão não fossem indiciados e, se culpados, punidos.

Segundo Villas Bôas, a lei que revogaria a CEO de anistia estava prestes a entrar em pauta na Câmara em 2002, com o objetivo de revogar a Lei de Anistia. No entanto, a intervenção de Aloizio Mercadante, então deputado federal e líder do PT na Câmara, mudou o rumo dos acontecimentos. Mercadante é filho do General de Exército Oswaldo Muniz Oliva, figura importante na relação entre os militares e o governo de Luiz Inácio Lula da Silva.

O general Oliva, que desempenhou um papel crucial como elo de ligação entre o então presidente Lula e as Forças Armadas, desempenhou um papel importante na interrupção da revogação da Lei de Anistia. Além disso, na mesma época, Aloisio Mercadante Oliva se destacou como o senador mais votado do país por São Paulo.

Villas Bôas detalhou o papel de Mercadante no processo: "Em geral, de oposição, excetuando aqueles mais ideologizados ou com um forte sentimento revanchista. Faltava um mês para as eleições de 2002, quando entrou na pauta da Câmara um projeto de lei, de autoria de um deputado do PT, visando à revogação da Lei de Anistia. Imediatamente levei ao deputado Mercadante, líder do PT: 'Coronel, fique tranquilo, porque esse projeto sai de pauta hoje mesmo.'"

Essa revelação lança luz sobre um momento crucial na história recente do Brasil, no qual a revogação da Lei de Anistia poderia ter tido implicações significativas para a responsabilização de indivíduos envolvidos em atos de repressão política. O papel do PT e de figuras-chave como Aloizio Mercadante Oliva nesse processo ressalta as complexidades das relações políticas e militares no país.

Conclusão

As revelações trazidas pelo general Villas Bôas, ex-comandante do Exército, sobre a intervenção do PT na revogação da Lei de Anistia, são de grande importância histórica e política. O papel desempenhado por Aloizio Mercadante, filho do General de Exército Oswaldo Muniz Oliva, em impedir a revogação da lei levanta questões sobre as dinâmicas de poder e as relações entre militares e políticos no Brasil. A entrevista e as revelações contidas no livro do Antropólogo Celso Castro destacam um capítulo crucial da história do país que continua a reverberar nas discussões contemporâneas sobre justiça, transição política e memória histórica.