Flávio Bolsonaro destrói mentiras sobre "sumiço" durante ação da PF (veja o vídeo)

Caio Tomahawk


Flávio Bolsonaro Desmente Rumores sobre "Sumiço" em Meio a Operação da PF (Assista ao Vídeo)


Em meio a uma operação da Polícia Federal (PF) que tinha como alvo o vereador Carlos Bolsonaro, o senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ) enfrentou especulações e desmascarou narrativas que sugeriam seu suposto "sumiço" durante um passeio no mar. As informações iniciais indicavam que um dos três jet skis utilizados pela família Bolsonaro não havia retornado enquanto a PF conduzia a operação na residência.


No entanto, em uma coletiva de imprensa, Flávio esclareceu que o jet ski em questão não era de sua propriedade, mas sim de um amigo. Ele afirmou que o veículo foi devolvido ao seu legítimo dono, sem revelar nomes. "Eu não retornei porque estava em um jet ski que não era meu, precisei devolvê-lo e depois fui almoçar. Após o almoço, retornei", explicou o senador.


Flávio Bolsonaro aproveitou a oportunidade para abordar a perseguição política que a família Bolsonaro tem enfrentado ao longo dos anos, especialmente intensificada durante o pleito eleitoral de 2022. Ele expressou preocupações sobre a abordagem da PF, mencionando que dispositivos de várias pessoas não relacionadas à operação foram confiscados, destacando que o foco deveria ter sido exclusivamente o vereador Carlos Bolsonaro.


"A PF confiscou dispositivos de várias pessoas que não estavam relacionadas à operação. O foco era apenas o Carlos. Por que essa abordagem? Parecia haver uma intenção não republicana de apreender aparelhos de todos os quatro Bolsonaros. Eu não deveria estar dando explicações, não era alvo de nada. Poderia continuar pescando e não precisaria voltar", argumentou o senador.


A situação evidencia a complexidade e polarização política no Brasil, onde operações policiais envolvendo membros da família presidencial geram intensa atenção e debates. A crítica de Flávio Bolsonaro à abordagem da PF levanta questões sobre os limites da atuação policial em casos envolvendo figuras públicas, especialmente em meio a um contexto político tão delicado.


Além disso, Flávio mencionou um livro intitulado "O Fantasma do Alvorada - A Volta à Cena do Crime", que registra eventos relacionados à perseguição contra a família Bolsonaro. O livro promete documentar manobras políticas, eleições, prisões, mídia, censura, perseguição, manipulação e outros aspectos controversos da política brasileira.


A menção ao livro coloca em destaque a importância da liberdade de expressão e o papel da mídia na disseminação de informações. Flávio sugere que a obra está na "mira" da censura, destacando a sensibilidade do cenário político atual e a luta pela preservação da diversidade de vozes no país.


À medida que o debate sobre a operação da PF e as alegações de perseguição política continua, é crucial observar como a sociedade, os políticos e a mídia reagirão a esses acontecimentos, influenciando a narrativa e as percepções públicas nos próximos dias.

#buttons=(Aceitar !) #days=(20)

Our website uses cookies to enhance your experience. Saiba Mais
Accept !