Alvo da PF, Paulo Figueiredo seria preso no Brasil e o motivo é aterrador

Caio Tomahawk


PF Revela Suposta Participação de Paulo Figueiredo em Operação de Desinformação Golpista


Na mais recente operação deflagrada pela Polícia Federal (PF), o jornalista Paulo Figueiredo Filho, neto do general João Batista Figueiredo, último presidente militar do Brasil, foi identificado como um dos alvos. A investigação da PF aponta que Figueiredo Filho teria atuado em uma suposta operação de "propagação de desinformação golpista e antidemocrática".


De acordo com as informações obtidas, Figueiredo Filho teria integrado um núcleo composto pelo general Braga Netto, os militares Ailton Gonçalves Moraes Barros e Bernardo Romão Correa Neto, além do ex-ajudante de ordens do ex-presidente Jair Bolsonaro, Mauro Cesar Cid. Esse grupo seria responsável por incitar militares a aderirem a um golpe de Estado, conforme relatório do Supremo Tribunal Federal (STF).


O ministro Alexandre de Moraes, do STF, detalhou em seu relatório que esse grupo selecionava alvos para amplificar ataques pessoais contra militares em posição de comando que resistiam às investidas golpistas. Esses ataques eram disseminados por meio de diversos canais e influenciadores com autoridade perante a audiência militar.


A PF solicitou a prisão preventiva de Figueiredo Filho, porém, a determinação de Moraes foi apenas para proibi-lo de manter contato com os outros 32 investigados pela PF no esquema de preparação do golpe de Estado. Essa decisão levanta questionamentos sobre o papel de Figueiredo Filho no suposto esquema golpista e sobre a extensão de sua participação nas atividades investigadas.


É importante ressaltar que Figueiredo Filho atualmente reside nos Estados Unidos, o que pode ter influenciado na decisão de Moraes em não decretar sua prisão preventiva. Caso estivesse no Brasil, a situação poderia ser diferente, levando em consideração as circunstâncias e os desdobramentos da investigação.


Diante dessas revelações, a sociedade aguarda por mais esclarecimentos e pela continuidade das investigações para entender o real envolvimento de Figueiredo Filho e dos demais investigados nesse suposto esquema de desinformação golpista. A transparência e a imparcialidade das instituições responsáveis pela aplicação da lei são fundamentais para o fortalecimento da democracia e a preservação do Estado de Direito no país.

#buttons=(Aceitar !) #days=(20)

Our website uses cookies to enhance your experience. Saiba Mais
Accept !