Aos gritos de "Globo Lixo", jornalistas são enquadrados pelo povo (veja o vídeo)

No contexto de uma mobilização em prol das vítimas das enchentes no Rio Grande do Sul, uma equipe da EPTV, afiliada da Rede Globo em Campinas, se viu no centro de um tumulto inesperado. Enquanto cobriam o evento, que contava com a presença do ex-presidente Jair Bolsonaro, os jornalistas foram reconhecidos pela multidão e rapidamente cercados por pessoas indignadas, que os enquadraram com gritos de "Globo Lixo".


O incidente ocorreu durante a tarde de sábado, no centro da cidade de Campinas, onde centenas de voluntários se reuniram para arrecadar donativos destinados às vítimas das recentes enchentes no sul do país. O ex-presidente Jair Bolsonaro, acompanhado de membros de seu partido, participava ativamente da mobilização, chamando a atenção da imprensa local e nacional.


Enquanto a equipe da EPTV buscava capturar imagens e entrevistas para a cobertura do evento, a atmosfera pacífica rapidamente se transformou quando alguns presentes notaram a presença dos jornalistas. Gritos de "Globo Lixo" ecoaram pelo local, marcando uma clara hostilidade em relação à emissora e seus profissionais.


Os jornalistas se viram cercados por uma multidão exaltada, que expressava sua insatisfação com a cobertura midiática da Rede Globo, especialmente em relação ao ex-presidente Bolsonaro e seu governo. Embora os profissionais da imprensa tenham tentado manter a calma e continuar com seu trabalho, a tensão no ar era palpável.


Vídeos registrados por testemunhas mostram o momento em que os jornalistas da EPTV são abordados pelos populares, que os confrontam de forma agressiva. Alguns tentam impedir que a equipe continue sua cobertura, enquanto outros gritam palavras de ordem contra a emissora e seus profissionais.


Diante da pressão e do clima hostil, os jornalistas da EPTV se viram obrigados a recuar temporariamente, buscando um local mais seguro para continuar seu trabalho. No entanto, a tensão persistiu ao longo do evento, com alguns populares seguindo e monitorando os passos da equipe de reportagem.


O incidente levantou questionamentos sobre a liberdade de imprensa e a segurança dos profissionais da mídia em meio a contextos políticos polarizados. Enquanto alguns apoiadores do ex-presidente Bolsonaro justificam a reação dos populares como uma forma legítima de protesto contra o que consideram uma cobertura parcial e tendenciosa por parte da mídia tradicional, outros condenam a intimidação e a violência verbal dirigida aos jornalistas.


A Associação Brasileira de Jornalismo (ABJ) emitiu um comunicado condenando o ocorrido e exigindo respeito à liberdade de imprensa e à integridade dos profissionais da mídia. O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de São Paulo também manifestou solidariedade à equipe da EPTV e reforçou a importância do jornalismo independente e imparcial na democracia.


Em meio ao episódio, a Rede Globo se pronunciou por meio de uma nota oficial, repudiando qualquer forma de violência ou intimidação contra seus funcionários e reafirmando seu compromisso com o jornalismo ético e responsável. A emissora também destacou a importância do livre exercício da imprensa em uma sociedade democrática, mesmo diante de opiniões divergentes.


O evento em Campinas foi marcado por momentos de solidariedade e engajamento cívico, com voluntários e autoridades locais unindo esforços para ajudar as vítimas das enchentes no Rio Grande do Sul. No entanto, o incidente envolvendo a equipe da EPTV serviu como um lembrete das divisões políticas e ideológicas que permeiam a sociedade brasileira, evidenciando a necessidade de diálogo e respeito mútuo para a construção de um ambiente democrático e plural.
 

Tags