Delegado suspeito no crime de Marielle manda carta para Moraes e implora para ser ouvido: “pelo amor de Deus”

O ex-chefe da Polícia Civil do Rio de Janeiro (PCERJ), Rivaldo Barbosa, atualmente preso sob suspeita de envolvimento nos assassinatos da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes, enviou um apelo angustiado ao ministro Alexandre de Moraes do Supremo Tribunal Federal (STF). Em um bilhete entregue ao oficial de justiça dentro da Penitenciária Federal de Brasília, Barbosa implorou para ser ouvido pela Polícia Federal no caso.


"Excelentíssimo Ministro, por misericórdia, solicito que Vossa Excelência faça os investigadores me ouvirem, pelo amor de Deus", escreveu Barbosa, expressando sua urgência em contribuir com as investigações em torno do crime que chocou o país.


Este pedido de Barbosa vem após um mês de sua solicitação inicial para prestar depoimento, alegando que ainda não foi ouvido pelos investigadores, apesar de uma ordem judicial nesse sentido. Desde que foi detido preventivamente no caso Marielle Franco, Barbosa tem buscado ativamente colaborar com as autoridades para esclarecer os detalhes do caso.


Uma das preocupações levantadas por Barbosa é o envolvimento de sua esposa em supostas atividades ilícitas. Segundo informações da Polícia Federal, a esposa de Barbosa teria utilizado empresas de fachada para a lavagem de dinheiro. Barbosa, portanto, solicita ao STF que ela também seja ouvida, buscando esclarecer qualquer vínculo ou participação dela nos acontecimentos em questão.


A prisão de Rivaldo Barbosa ocorreu em 24 de março, seguida de uma denúncia da Procuradoria-Geral da República em 10 de maio. Além de Barbosa, os irmãos Domingos Brazão e o deputado federal Chiquinho Brazão (sem partido-RJ) também estão sob custódia. Recentemente, em uma audiência no STF, o pedido de soltura da defesa de Barbosa foi negado, com o tribunal citando preocupações com a saúde do acusado como justificativa para manter sua prisão.


O caso Marielle Franco continua a ser uma questão de grande interesse nacional e internacional, gerando debates sobre segurança pública, corrupção e direitos humanos. A busca por justiça e pela verdade sobre os eventos que levaram à morte da vereadora e de seu motorista permanece como uma prioridade para as autoridades e para a sociedade como um todo.


Enquanto isso, o apelo desesperado de Rivaldo Barbosa destaca a complexidade e a sensibilidade deste caso, bem como a importância de garantir que todas as partes envolvidas tenham a oportunidade de se manifestar e contribuir para as investigações em curso. O papel do STF como guardião da constituição e como garantidor da justiça e do devido processo legal é fundamental para o desenrolar deste caso e para a busca pela verdade e pela justiça.