Depois de passar vergonha com influenciadores, Globo volta atrás e escala jornalistas para a cobertura do Carnaval

Após enfrentar uma avalanche de críticas de telespectadores e entusiastas do Carnaval, a Globo decidiu alterar sua estratégia para a cobertura dos desfiles das escolas de samba do Rio de Janeiro e São Paulo em 2025. A emissora, que havia optado por escalar influenciadores para a cobertura do evento em 2024, reconheceu o erro e anunciou o retorno de seus repórteres tradicionais às áreas de concentração e dispersão dos sambódromos.


Amauri Soares, diretor dos Estúdios Globo, foi o responsável pela determinação que trará de volta jornalistas experientes para a cobertura do Carnaval. A decisão veio após a insatisfação generalizada com a cobertura de 2024, que contou com influenciadores digitais em vez de repórteres profissionais. A mudança foi mal recebida, resultando em transmissões com pouca informação e uma série de críticas nas redes sociais e na imprensa especializada.


Outra grande novidade para o Carnaval de 2025 é a extensão dos desfiles ao longo de cinco dias, em vez dos tradicionais quatro. Em São Paulo, os desfiles continuarão a acontecer na sexta-feira e no sábado, enquanto no Rio de Janeiro, será acrescentado um dia extra, incluindo desfiles na terça-feira. Esse novo formato faz parte do acordo entre a Globo e a Liesa (Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro), permitindo que quatro escolas desfilem por noite. Com isso, os espetáculos começarão mais tarde, impactando menos a programação da emissora, e terminarão mais cedo.


Na cobertura do Carnaval do Rio, continuarão nomes bem avaliados em 2024, como Karine Alves, Alex Escobar e Milton Cunha. Eles foram elogiados pela sua expertise e capacidade de trazer informações relevantes ao público. No entanto, ainda está em discussão se esses jornalistas também cobrirão os desfiles de São Paulo, devido ao desgaste de trabalhar cinco noites consecutivas.


Além disso, a Globo confirmou o retorno de jornalistas experientes como Mariana Gross, Bette Lucchese e Pedro Bassan. Estes profissionais substituirão os influenciadores, trazendo de volta a cobertura especializada que tanto agradava os telespectadores.


A decisão de substituir influenciadores por jornalistas veio após uma enxurrada de críticas. A ausência de repórteres especializados em 2024 resultou em uma transmissão com pouca informação e gerou muitas reclamações nas redes sociais. A imprensa especializada também não poupou críticas à cobertura, destacando a falta de profundidade e conhecimento por parte dos influenciadores.


A Fenaj (Federação Nacional dos Jornalistas) publicou uma nota em seu site, criticando duramente a cobertura da Globo. A federação afirmou que a decisão de abrir mão de profissionais foi um “desrespeito aos telespectadores, às escolas e ao Carnaval”. O texto da Fenaj destacou que a emissora "conseguiu invisibilizar" aspectos importantes do evento, que são fundamentais para a compreensão e apreciação do Carnaval por parte do público.


A mudança no formato dos desfiles e a volta dos jornalistas prometem melhorar significativamente a qualidade da cobertura do Carnaval de 2025. Com a experiência e o conhecimento dos repórteres, a Globo espera oferecer uma transmissão rica em informações e insights, capazes de engajar e satisfazer os espectadores.


Os desfiles de São Paulo e Rio de Janeiro são eventos de grande importância cultural e midiática no Brasil. A cobertura desses eventos exige profissionais que não apenas compreendam a complexidade dos desfiles, mas que também saibam transmitir essa riqueza ao público. Com os jornalistas de volta, a expectativa é de uma cobertura mais profunda e informativa, atendendo melhor às demandas dos telespectadores e amantes do Carnaval.


A decisão da Globo de reverter sua estratégia e trazer de volta os jornalistas para a cobertura do Carnaval em 2025 é uma resposta direta às críticas e insatisfações do público. Com a experiência de repórteres como Mariana Gross, Bette Lucchese e Pedro Bassan, a emissora busca garantir uma cobertura de alta qualidade, que valorize a riqueza e a importância cultural dos desfiles de samba.


Além disso, a extensão dos desfiles ao longo de cinco dias promete proporcionar um evento ainda mais grandioso, com mais tempo para que cada escola de samba possa brilhar no sambódromo. Com essas mudanças, a Globo espera reconquistar a confiança dos telespectadores e fortalecer sua posição como a principal emissora na cobertura do Carnaval brasileiro.

Tags