Moraes manda prender idoso com câncer em estágio avançado

Na última terça-feira, dia 21, o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), emitiu uma ordem para a Polícia Federal (PF) prender Jaime Junkes, um indivíduo de 68 anos, em decorrência dos eventos ocorridos no dia 8 de janeiro. Essa decisão resultou na detenção de Junkes, que foi encaminhado ao Centro Integrado de Triagem de Londrina, no Paraná, onde foi sentenciado a 14 anos de prisão pelo STF. Essa sentença foi proferida apesar de um recurso pendente de análise.


A defesa de Jaime Junkes, em uma ação protocolada no dia 26 de março, argumentou que não existem provas substanciais que vinculem seu cliente aos atos de vandalismo durante o protesto e também destacou sua delicada condição de saúde. Junkes foi detido no Palácio do Planalto. A defesa ressaltou que ele sofre de várias condições médicas, incluindo miocardiopatia dilatada, problemas cardíacos, hipotireoidismo, embolia pulmonar, sequelas da covid-19 de longa duração e câncer de próstata em estágio avançado, o que o obriga a utilizar uma sonda.


Os advogados afirmaram que desde sua libertação condicional em 22 de novembro de 2023, Junkes não violou as medidas cautelares impostas. O ministro Moraes havia concedido a liberdade condicional a Junkes após a comoção gerada pela morte do empresário Clezão na Papuda, que ocorreu devido a um mal súbito.


A defesa de Junkes acredita que a decisão de Moraes se fundamenta no receio de fuga, especialmente considerando que outros acusados já haviam fugido.


No entanto, muitas questões em torno dos eventos do dia 8 de janeiro ainda permanecem sem respostas. Surgiu uma investigação paralela na forma do livro "08 DE JANEIRO - SEGREDOS E BASTIDORES". Esta obra promete revelar detalhes e segredos até então desconhecidos pelo público. O livro aborda o início dos acontecimentos que culminaram nos três dias mais cruciais de todo o incidente: 07, 08 e 09 de janeiro. Entre os relatos apresentados estão informações sobre o controverso ginásio para onde os presos foram levados, a prisão de Anderson Torres, a chamada “minuta do golpe”, o suposto "alvo" nas costas do ex-presidente Jair Bolsonaro, a Operação Lesa Pátria, e ainda expõe as ações suspeitas do General G. Dias antes, durante e após os eventos.


O caso envolvendo Jaime Junkes e os acontecimentos do dia 8 de janeiro continuam a gerar controvérsias e levantar questões sobre a justiça e transparência no país. Enquanto isso, a busca pela verdade e pela compreensão completa dos eventos permanece em andamento.
© Política Online Brasil. Todos os direitos reservados. Premium By Jago Themes