Petista acusado de assédio é "premiado" pelo "Governo do Amor"

O ex-vereador petista Ricardo Lovatto Blattes, acusado de assédio moral por nove servidoras do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), onde exercia as funções de diretor, foi designado para a Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República. Sua nova atribuição será voltada aos preparativos para o encontro do G20, que ocorrerá no Rio de Janeiro em novembro.


De acordo com uma portaria assinada pelo ministro interino da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, Laércio Portela, Blattes ocupará um cargo temporário “destinado à constituição da área de trabalho relativa à Comunicação Social, considerando as necessidades logísticas de organização da presidência do G20 pela República Federativa do Brasil”¹.


As denúncias contra Blattes incluem ameaças de demissão, acusações infundadas de corrupção contra terceirizados, desrespeito às mulheres e comentários machistas. Essas ações seriam caracterizadas como assédio moral e discriminação de gênero. Antes de sua nomeação para o Cade em outubro de 2023, Blattes atuou como diretor do Departamento de Proteção de Defesa do Consumidor no Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), onde também enfrentou “problemas de relacionamento” com colegas. Duas servidoras relataram abordagens inadequadas e criticaram a postura do diretor³.


Blattes permanecerá no cargo relacionado à organização do G20 até novembro, quando o Brasil deixará a presidência do colegiado. No mesmo mês, acontecerá a Cúpula de Líderes do G20, no Rio de Janeiro³. Essa nomeação levanta questões sobre a postura do governo em relação a casos de assédio e a importância de garantir um ambiente de trabalho seguro e respeitoso para todos os servidores públicos.

Tags