Senador Marcos do Val escancara plano de aliados de Lula para ‘legalizar’ abusos de autoridade de Moraes, do STF, e reage a ‘aberração’


Em uma transmissão ao vivo pelas redes sociais, o senador Marcos do Val celebrou as recentes vitórias da oposição no Congresso Nacional. Destacou, em especial, a manutenção do veto do ex-presidente Jair Bolsonaro que impediu a criação do controverso "crime de fake news" e a derrubada do veto de Lula que mantinha as "saidinhas" de criminosos.


Do Val enfatizou que o fim das "saidinhas" pode ser o início de uma mudança no cenário brasileiro, onde o crime muitas vezes parece compensar. Além disso, ele criticou veementemente a proposta do "crime de fake news", argumentando que não há uma definição clara do termo e que já existem leis que abordam o tema do abuso de informações falsas.


O senador explicou que essa proposta tinha o objetivo de justificar os abusos de autoridade perpetrados por algumas figuras, citando especificamente o ministro Alexandre de Moraes. Ele apontou para a necessidade de uma reação coordenada contra esses abusos, incluindo a possibilidade de uma anistia para os presos do dia 8 de janeiro e a criação de uma CPI para investigar o uso político da Polícia Federal.


Ao falar sobre sua própria experiência, Do Val destacou as medidas abusivas que enfrentou, incluindo a censura de suas redes sociais e a perseguição pessoal. Ele ressaltou a importância de responsabilizar aqueles que abusam do poder, independentemente de sua posição no governo.


Uma das questões mais graves levantadas pelo senador foi o uso da máquina estatal para perseguir opositores políticos. Ele denunciou a prisão em massa de mais de 2 mil pessoas, ordenada pelo ministro Alexandre de Moraes, em colaboração com o Exército brasileiro, sem respeito aos direitos humanos ou ao devido processo legal. Essas pessoas foram submetidas a medidas cautelares excessivas e arbitrárias, enquanto autoridades envolvidas nos mesmos eventos permanecem livres de punição.


Do Val também mencionou a criação de inquéritos administrativos para confiscar a renda de sites e canais conservadores, destacando a ação do ex-corregedor do Tribunal Superior Eleitoral, Luís Felipe Salomão. Essas medidas, segundo ele, evidenciam uma tendência de perseguição contra apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro e pessoas com posicionamentos contrários ao establishment político.


Em resumo, a posição do senador Marcos do Val reflete uma preocupação com o estado atual da democracia brasileira, destacando a necessidade de combater abusos de autoridade e proteger os direitos individuais dos cidadãos. Suas críticas às medidas autoritárias e seu chamado à ação visam fortalecer os valores democráticos e garantir um futuro mais justo e transparente para o país.
Tags