‘Sumiço’ de Elon Musk: veja o que se sabe sobre o silêncio do bilionário em relação ao Brasil

Após o furor causado pelo "Twitter Files Brasil" em abril deste ano, onde um suposto conluio entre os tribunais superiores brasileiros e o Twitter/X veio à tona, Elon Musk emergiu como uma figura de destaque na luta contra a censura e a favor da liberdade de expressão no país. Suas críticas incisivas ao ministro Alexandre de Moraes, uma figura central do Judiciário brasileiro, o elevaram à posição de esperança para a direita brasileira, enquanto deixavam a esquerda preocupada com as implicações internacionais dessas disputas.


No entanto, quase um mês se passou desde então, e Musk não abordou mais o tema publicamente. Seu último tweet relacionado ao assunto remonta a 3 de maio, quando comentou sobre uma entrevista com o ex-presidente Jair Bolsonaro na plataforma de lives do X, declarando que, independentemente de concordar ou não com Bolsonaro, o povo brasileiro tem o direito de ouvi-lo.


Desde então, enquanto Musk fez menções ao Brasil para solicitar doações às vítimas da tragédia no Rio Grande do Sul, ele não se pronunciou sobre as questões relacionadas ao Judiciário brasileiro. Isso tem levantado questões e especulações sobre o motivo de seu silêncio, especialmente considerando as promessas que ele fez anteriormente.


Quando Musk começou a abordar a situação do Brasil, ele prometeu confrontar decisões judiciais e reativar as contas retidas de jornalistas e influenciadores censurados, desafiando ordens judiciais consideradas ilegais. No entanto, até o momento, essas promessas não foram cumpridas. Contas como as de Allan dos Santos, Paulo Figueiredo, Rodrigo Constantino e Ludmila Lins Grilo permanecem inacessíveis no país, exceto através do uso de VPN.


Enquanto estava mais ativo no assunto, Musk costumava responder às mensagens de cidadãos brasileiros menos conhecidos no X e compartilhar postagens de parlamentares e influenciadores preocupados com a situação do país. No entanto, nos últimos dias, até mesmo apelos do deputado mais votado do Brasil, Nikolas Ferreira, foram ignorados.


Além disso, Musk não respondeu às recentes críticas do ministro Luís Roberto Barroso, publicadas no Financial Times, que sugeriam uma "articulação de extrema-direita no mundo" da qual Musk poderia fazer parte.


Embora haja especulações sobre o motivo do silêncio de Musk, uma possibilidade é que ele esteja agindo com cautela para resolver a situação de seus funcionários no Brasil. Em 8 de abril, Nikolas Ferreira enviou uma mensagem a Musk, solicitando mais informações sobre uma possível manipulação eleitoral no Brasil. Em resposta, Musk destacou a necessidade de garantir a segurança de seus funcionários no país antes de divulgar qualquer informação adicional sobre o caso.


Portanto, é plausível que o silêncio de Musk seja parte de uma estratégia cuidadosa para proteger sua equipe e abordar a questão de maneira responsável. No entanto, isso levanta questionamentos sobre o papel contínuo do empresário na defesa da liberdade de expressão no Brasil e sobre o alcance de suas promessas anteriores.
Tags