Globo tem pior ibope de 2024 e perde liderança de audiência

A Globo experimentou um domingo aterrorizante em termos de audiência no dia 10 de junho de 2024. A emissora sofreu uma queda significativa na faixa da tarde, perdendo 27% de audiência e ficando atrás do SBT, que exibia o programa "Domingo Legal". O principal motivo para essa queda foi a ausência da transmissão do Campeonato Brasileiro, substituído por um festival musical destinado a arrecadar fundos para o Rio Grande do Sul.


A decisão de substituir o futebol pelo festival "Salve o Sul" teve consequências drásticas. A audiência da Globo quase caiu abaixo da liderança diária, com a emissora mantendo apenas 0,1% de participação de mercado à frente dos conteúdos de vídeo sem referência. Este título é oficialmente atribuído aos números medidos de plataformas de streaming, circuitos de segurança, DVDs e outros formatos não lineares. A situação se configurou como um empate técnico entre a Globo e esses conteúdos não referenciados, marcando o pior dia de audiência da emissora em 2024.


Os dados finais de audiência da Grande São Paulo revelaram que tanto a Globo quanto os conteúdos de vídeo não-lineares obtiveram 9,0 pontos durante as 24 horas do domingo. A Globo conseguiu manter a liderança com base no primeiro critério de desempate, garantindo a sintonia de 25,5% das televisões ligadas na maior metrópole do país, enquanto a métrica que registra os índices das plataformas de streaming alcançou um "share" de 25,4%.


O SBT também ameaçou a liderança da Globo. Durante a faixa da tarde, das 12h às 18h, a Globo apresentou seu pior desempenho do ano, com uma média de 8,8 pontos, ficando mais próxima dos 6,3 pontos alcançados pelo SBT do que dos 12,4 pontos fixados pelas plataformas de consumo de televisão não-lineares. O momento mais crítico para a Globo ocorreu durante as performances do festival "Salve o Sul". Transmitido das 14h29 até as 16h40, o especial registrou uma média de apenas 8,3 pontos, superando o "Domingo Legal" por uma margem estreita de 8,0 contra 7,1 pontos e o programa "Eliana" por 6,7 contra 8,9 pontos.


A apresentação musical do festival, organizada por Luísa Sonza, ficou muito aquém das plataformas de streaming, que garantiram uma média de 13,0 pontos na disputa com o evento beneficente. Outros programas da Globo também registraram índices menores do que o normal. "Esporte Espetacular" marcou 7,0 pontos contra 9,2 pontos dos conteúdos não referenciados, "Temperatura Máxima" obteve 9,2 pontos contra 11,9 pontos, "Circuito Sertanejo" teve 8,4 pontos contra 9,5 pontos, "Domingo Maior" registrou 5,4 pontos contra 6,2 pontos, e "Cinemaço" alcançou apenas 3,7 pontos contra 3,9 pontos. Apesar desses desempenhos abaixo do esperado, a Globo conseguiu manter a liderança entre as emissoras de TV aberta.


A queda na audiência foi um duro golpe para a Globo, que tem enfrentado desafios crescentes em um mercado de mídia cada vez mais fragmentado. A ascensão das plataformas de streaming tem alterado significativamente os hábitos de consumo de conteúdo, colocando pressão sobre as emissoras tradicionais para se adaptarem e inovarem. A decisão de transmitir um festival musical em vez do popular Campeonato Brasileiro foi uma aposta que não rendeu os frutos esperados, evidenciando a volatilidade do público televisivo e a crescente competição com os serviços de streaming.


Para o SBT, o domingo foi um dia de vitórias. O "Domingo Legal" e o programa "Eliana" conseguiram se aproximar e, em alguns momentos, superar a audiência da Globo, mostrando a força de sua programação de entretenimento familiar. A conquista de audiência pelo SBT é um sinal positivo para a emissora, que tem buscado se firmar como uma alternativa robusta na televisão aberta.


O impacto da queda de audiência da Globo deve ser cuidadosamente analisado pela emissora. A necessidade de encontrar um equilíbrio entre programas tradicionais e novas propostas de conteúdo será crucial para manter sua posição de liderança no mercado. O evento "Salve o Sul" cumpriu seu objetivo filantrópico, mas a resposta do público deixou claro que a preferência ainda está fortemente vinculada a conteúdos esportivos e de entretenimento de massa.


Em resumo, o dia 10 de junho de 2024 ficará marcado como um dos mais desafiadores para a Globo. A emissora terá que repensar suas estratégias de programação para recuperar a audiência perdida e enfrentar a crescente concorrência das plataformas de streaming, que continuam a redefinir o panorama do consumo de mídia no Brasil e no mundo.

Tags