Ticker

6/recent/ticker-posts

Moraes insurge contra ação das Forças Armadas e aumenta a tensão em Brasília

 

O ministro Alexandre de Moraes minimizou a nova nota do Ministério da Defesa publicada nesta quinta-feira, 10.

A pasta reforçou que o relatório entregue ao TSE na quarta-feira não exclui a possibilidade de fraude nas urnas.

Moraes disse que o assunto sobre as urnas “acabou faz tempo”.

“Esse assunto está encerrado faz tempo”, afirmou o ministro. 

A pasta enviou ao TSE o relatório sobre a fiscalização do processo eleitoral brasileiro.

No documento de 63 páginas, os militares dizem não ter encontrado nenhum indício de fraude nas eleições deste ano, mas indica-se, porém, que o sistema não está isento de um “eventual código malicioso que possa afetar seu funcionamento”.

“Dos testes de funcionalidade, realizados por meio do Teste de Integridade e do Projeto-Piloto com Biometria, não é possível afirmar que o sistema eletrônico de votação está isento da influência de um eventual código malicioso que possa alterar o seu funcionamento”, diz um trecho do relatório. 

Um dia após a divulgação dos documentos, o órgão emitiu um comunicado ressaltando o trabalho dos militares e reforçando a possibilidade de melhora na segurança nos programas instalados nas urnas eletrônicas, devido ao fato dos itens se conectarem aos computadores da Corte Eleitoral durante a compilação do código-fonte, possibilitando um código malicioso alterar o funcionamento do sistema de votação, além das restrições impostas ao acesso adequado dos técnicos militares ao código-fonte e às bibliotecas de software.

Hoje, uma nova nota divulgada em conjunto pelo Exército, Marinha e Aeronáutica — sem a assinatura do Ministério da Defesa — parece ter como destinatário o Poder Judiciário e, mais especificamente, o ministro do STF Alexandre de Moraes.

Faça parte do nosso grupo no telegram:

CLIQUE AQUI