Mourão é encurralado por jornalista e dá a pior resposta possível (veja o vídeo)

O senador Hamilton Mourão, do Republicanos-RS, concedeu uma entrevista na manhã desta sexta-feira, onde suas declarações geraram controvérsia e críticas nas redes sociais. Ao ser questionado por uma jornalista sobre suas ações durante a tragédia no Rio Grande do Sul, Mourão argumentou que participar do salvamento e ajuda direta às vítimas seria um "desvio de função" devido à sua idade avançada, pois ele tem 70 anos.


"Vamos lembrar que eu sou um homem de 70 anos", disse o senador. "Quantos homens de 70 anos estão aí, no meio da água? Se vocês disserem que tem alguém da minha idade salvando gente...", completou.


A declaração de Mourão provocou indignação e críticas por parte dos internautas, que questionaram sua falta de empatia e solidariedade diante de uma tragédia que deixou muitas vítimas desabrigadas e em situação de vulnerabilidade.


Enquanto isso, nos últimos dias, uma bomba surgiu envolvendo o nome de Mourão. Mauro Cid, ex-ajudante de ordens de Jair Bolsonaro, afirmou em delação que o monitoramento feito pelo ministro Alexandre de Moraes tinha como objetivo descobrir encontros secretos entre o magistrado e o General.


Apesar da grande repercussão sobre o assunto, Mourão permanece em completo silêncio, não se pronunciando sobre as acusações que pairam sobre ele. A falta de resposta do senador tem gerado ainda mais questionamentos e alimentado especulações sobre uma possível traição ou envolvimento em situações controversas.


Diante desses acontecimentos, a pressão sobre Mourão para que esclareça sua posição e se pronuncie sobre as acusações tem aumentado significativamente. O silêncio do senador frente aos questionamentos levanta dúvidas sobre sua integridade e transparência como representante do povo no Senado.


Enquanto o país aguarda por respostas e esclarecimentos por parte de Mourão, a controvérsia em torno de suas declarações sobre a tragédia no Rio Grande do Sul e as acusações feitas por Mauro Cid continuam a alimentar o debate político e a gerar incerteza sobre o futuro do senador e sua imagem perante a opinião pública.